Páginas

sábado, 18 de junho de 2016

GOLPE DE ESTADO NA ACADEMIA DA LÍNGUA



   Durante a reunião ordinária dos excelentíssimos académicos da língua, um grupo de pessoas cobertas com passa-montanhas sequestraram os ilustres membros da instituição. Não pediram resgates, apenas compreensão.
   Três horas mais tarde, a solene instituição declarava a liberdade absoluta de escrever como cada um quiser, sem regras de acentuação nem utilização das vírgulas.
   A resolução foi acolhida com uivos de alegria pelos estudantes. Infelizmente, mais de quinhentos professores foram executados por se terem declarado insubmissos à anarquia ortográfica.

© Frantz Ferentz, 2016

Sem comentários: