Páginas

domingo, 30 de junho de 2013

A MULHER QUE SABIA ABRAÇAR

Desde o mais profundo dos seus olhos verdes, Samira Mohamed sobrevivia a tudo na vida porque só sabia fazer uma cousa: abraçar. Sempre ia coberta com aquele pano escuro que lhe escondia a pele e luz dos olhos, mas nunca soubêrom entender como é que ela fazia para abraçar e ser abraçada.

Os olhos inquisitivos do sultão ignoravam que quando Samira Mohamed ia ao jardim do harém ao sol-por não abraçava nem homens nem mulheres (não os havia), mas abraçava árvores que a possuíam e levavam para a êxtase a misturar fluídos de seiva e de mulher.

Frantz Ferentz, 2013

Sem comentários: